História


O início de uma história de sucesso - 1990


A Associação Macaense de Apoio aos Cegos (AMAC) representa o sonho de um cidadão consciente de seu papel na sociedade, e que ao ser surpreendido por uma deficiência visual se sensibilizou com as dificuldades e necessidades dos portadores de doenças oftalmológicas macaenses.

Marcos Vieira Passos sofreu no dia 11 de abril de 1990, um acidente automobilístico, que resultou na perda integral de sua visão. O trauma foi contornado, com superação e solidariedade para com os que vivenciam condição semelhante.

No mês de setembro do mesmo ano, ele iniciou sua alfabetização em Braille na escola Matias Neto, que na ocasião foi a pioneira no oferecimento desta formação. Embora, o curso contasse com uma estrutura precária, visto que as aulas eram ministradas no porão da escola.

Mas os desafios não pararam por aí, em 25 de fevereiro de 1991, Marcos fundou a Associação Macaense de Apoio aos Cegos - AMAC.  Na sua iluminada visão, estes precisavam ser representados por uma entidade, e engajados nas políticas sociais e educacionais vigentes. E essa instituição viria a satisfazer esses anseios.             

Um dos aspectos que despertaram em Marcos Viera a vontade de fundar a associação foi o fato de perceber que boa parte dos deficientes visuais não tinha o apoio de suas famílias para superar os desafios impostos pela nova condição. Pois viviam em situações em que a carência e desassistência de recursos eram totais.

Portanto a AMAC tem por objetivo levar a essas pessoas, informação, acessibilidade; e a possibilidade de se qualificarem profissionalmente, ingressando assim no mercado de trabalho.

 No espaço mantido pela associação é possível obter orientação psicológica, além de se inscrever em cursos e programas de assistência aos deficientes visuais e seus familiares.


CRÉDITOS rodape